INAPROVEITÁVEL – A PRIMEIRA RESPOSTA QUE O PAULINHO GOGÓ RECEBEU DA PRAÇA É NOSSA NO INÍCIO DA CARREIRA

INAPROVEITÁVEL – A PRIMEIRA RESPOSTA QUE O PAULINHO GOGÓ RECEBEU DA PRAÇA É NOSSA NO INÍCIO DA CARREIRA

Quem vê, no caso  dos que enxergam, nos dias de hoje, o Maurício Manfrini, o criador do personagem de grande sucesso Paulinho Gogó,  talvez não imagine por quantas provações o artista teve que passar até atingir a fama da qual desfruta atualmente. O intérprete do filme No Gogó do Paulinho, previsto para este ano, mas que ainda não foi lançado por conta da pandemia do novo coronavírus, trocou uma ideia comigo no Olho no Olho, quadro do meu canal no qual recebo diversas figuras para entrevistar e papear. Falamos muito a respeito da sua trajetória como artista e das várias etapas passadas por ele até alcançar a tão almejada carreira de sucesso. E, logicamente, o começo foi entremeado de inúmeras batalhas, tal qual ocorre com todo mundo que se aventura a sonhar viver de arte no Brasil. Neste pequeno trecho da longa entrevista dada a mim no me Canal Cego Jeffinho, o grande Paulinho Gogó, o mesmo que quase mata o Carlos Alberto de Nóbrega de tanto rir no banco da Praça é Nossa, revelou dificuldades enfrentadas no início da carreira. A sua persistência e determinação fizeram com que hoje o ator Maurício Manfrini atingisse o status de artista estabelecido. A sua saída da Praça é Nossa após 17 anos de muito sucesso deveu-se aos novos desafios pessoais e profissionais. O criador do gaiato Paulinho Gogó falou sobre isso no bate-papo. Além de ter contado várias histórias pessoais do começo da sua trajetória artística e dos primeiros passos e tropeços. O Paulinho Gogó também discorreu sobre as reviravoltas que a vida dá. Falou sobre o seu inicial contato com o Jorge Lafond e como, através da lendária Vera Verão, recebeu o primeiro retorno, que foi negativo, da Praça é Nossa. Anos depois, no entanto, como todos sabemos, no mesmo banco da praça, o Paulinho Gogó brilhou por quase duas décadas contando as suas histórias,os seus fatos venérios, falando da Nega Juju, Paulinho Tumtum, Biricutico, Celso Bigorna, Chico Virilha, Helinho Gastrite e muitos outros.

E, também como é conhecimento de todos, levando muitas gargalhadas ao povo brasileiro e, por vezes, como já dito, quase matando o Carlos Alberto de Nóbrega de tanto rir no banco da praça mais feliz do Brasil.

Por mais de uma hora revivendo as suas memórias, o querido amigo Maurício Manfrini  revisitou histórias que vão desde o seu começo na Super Rádio Tupi do Rio de Janeiro, passam pela a sua primeira oportunidade na televisão dada pelo saudoso Wagner Montes, chegam na sua participação na Escolinha do Professor Raimundo atuando ao lado de grandes nomes e sendo orientado pelo mestre do humor no Brasil, o extraordinário Chico Anísio, e desembocam na sua trajetória no SBT e nas suas atuações nos cinemas em “Os Farofeiros” e no projeto mais atual que ainda não pôde ser exibido, o já ansiosamente aguardado “No Gogó do Paulinho”. além disso, muitos outros casos narrados na live, ele mesmo confessou não ter contado antes em lugar algum. Foi uma agradável e surpreendente conversa com um dos maiores e mais populares humoristas atuantes no nosso país. Clica no vídeo e perceba como que a persistência e a crença no talento próprio, atrelados a humildade em aprender e evoluir, podem ser considerados os principais ingredientes da fórmula do sucesso. Com vocês, Maurício Manfrini, o Paulinho Gogó, senhoras e senhores…

Deixe uma resposta